3ª Parte: Entenda o March Madness

1- NCAA

A NCAA (Natonal Collegiate Athletic Association) é a entidade que cuida dos esportes universitários norte-americanos. Ela organiza todos os campeonatos nacionais e regionais do país. Especificamente no basquete, existem três divisões e outras várias divisões que fazem parte. As melhores Universidades do esporte estão na primeira divisão, podendo outras “subirem”, como nos recentes casos de New Jersey Tech Institute e Incarnate Word.

2- Ranking da AP

O Ranking Top 25 da Associated Press surgiu em 20 de janeiro de 1949 e desde lá não perdeu uma semana colocando seus melhores times no ranking. Ele começou com 20 equipes e em 1961-62 até 1967-68 foram apenas dez equipes. Somente em 1988-89 é que o ranking passou a ter 25 equipes, número mantido até hoje.

Saint Louis foi a primeiro número 1 do ranking e 12 escolas permaneceram toda a temporada como número 1 do país (último caso em 1991-92 – Duke). UCLA tem o recorde de tempo como número 1 do país (134 semanas). Os votos são computados da seguinte maneira: a equipe número 1 recebe 25 pontos, a número 2 recebe 24 e assim por diante até a 25, que recebe somente 1 ponto. A equipe que somar mais pontos pelos votos da Associação liderará o ranking naquela semana.

A AP é muito contestada por ser rígida com algumas equipes e muitas vezes vemos diferenças entre o seu ranking e o ranking feito pelos técnicos do basquete universitário.

3- Conferencias

As conferencias na NCAA funcionam como divisões regionais para as universidades. Com o tempo, algumas universidades de conferencias pequenas ou menos tradicionais se fortaleceram fazendo com que tivéssemos um movimento de universidades trocando de conferencia. Isso ainda acontece nos dias atuais com certa frequência.

3.1- Mid-Majors

As conferências mid-majors são aquelas ditas de menor expressão, com universidades que não tem um programa de basquete tão conhecidos e qualificados como as da “Power Six” (conferências majors). No entanto muitas universidades mid-majors se destacam todos os anos e são as maiores responsáveis pelos “upsets” (zebras) no March Madness. Algumas equipes já são mais conhecidas e muito regulares durante as temporadas, tais como Wichita State e Middle Tennessee.

Aqui segue a lista das conferências mid-majors:

– America East
– American
– Atlantic 10
– Atlantic Sun
– Big Sky
– Big South
– Big West
– Colonial
– Conference USA
– Horizon
– Ivy League
– MAAC
– Mid-American
– MEAC
– Missouri Valley
– Mountain West
– Northeast
– Ohio Valley
– Patriot
– Southern
– Southland
– SWAC
– Summit League
– Sun Belt
– West Coast
– WAC

3.2- Majors

As conferências majors são as conferências conhecidas do basquete universitário. São aquelas que contêm as equipes mais qualificadas e com maior histórico de títulos e participações no March Madness e Final Fours. Muitas mudanças ocorreram e ocorrem nas conferências, com equipes saindo e compondo outras conferências, conforme vários interesses, desde mais dinheiro até uma escolha do departamento do futebol americano (esporte mais rentável da NCAA) que afeta diretamente o basquete. A mais recente delas foi a criação da conferência American, que conta com UConn, Memphis, Cincinnati e outras que faziam parte de conferências distintas. Além disso, a Big East teve uma mudança significativa nos últimos anos. A conferência, a qual era a mais qualificada do país, sofreu com as saídas de Syracuse, Louisville, Notre Dame e Pittsburgh para a ACC, além de Rutgers para a Big Ten e Cincy e South Florida para a American. Novos times entraram como Creighton, Butler e Xavier, o que fez com que a conferência voltasse a ser forte.

Segue a lista das majors:

– ACC
– Big 12
– Big East
– Big Ten
– Pac-12
– SEC

4- Calendário

O calendário na NCAA funciona com três principais períodos: Temporada regular Non-Conference; temporada regular conferencional; e torneios.

4.1- Temporada Non-Conference e Temporada Regular

A primeira parte é totalmente livre e acontece entre Novembro e Dezembro. As universidades marcam seus próprios jogos, como se fossem amistosos. Porém todos estes confrontos terão um peso muito grande na hora que o comitê for analisar quais times merecem as vagas por índice técnico no March Madness. É uma fase importante também para analisarmos quais conferências são as mais fortes – o que consequentemente resultará em mais convites para o NCAA Tournament.

A segunda parte dura aproximadamente três meses e é a fase “doméstica” do calendário. Aqui só temos confrontos de times de mesma conferência. Cada liga tem 16 ou 18 rodadas, onde necessariamente todos os times dentro dela se enfrentam ao menos uma vez.

4.2- Torneio Conferencional

Um dos momentos mais aguardados do ano são os torneios conferencionais. Todas as equipes tem um “mata-mata” em que qualquer equipe têm chances de se classificar para o March Madness. Após o término da temporada regular, conforme a classificação disposta, as piores equipes começam jogando. Muitas conferências seguem um modelo de pior contra o melhor e assim por diante (#1 vs #10, #2 vs #9, etc…). Outras conferências têm fases em que se dividem os melhores dos piores (1ª rodada – #12 vs #9 e #11 vs #10, quem passa enfrenta a seed #4 e #5 e seguindo). Os campeões de cada torneio conferencional das 32 conferências existentes no College estão automaticamente classificados para o March Madness, ou seja, há sempre lugar para surpresas e elas ocorrem muito.

Os torneios das mid-majors são sempre mais emocionantes porque só o vencedor vai ao March Madness. Não adianta ser o melhor time da temporada regular e não vencer o torneio da conferência.  A Ivy League (conhecida como conferência das Universidades Nerds) tem seu primeiro torneio nesta temporada. Antes disso o campeão da temporada regular era classificado ao March Madness.

5- Torneio da NCAA (March Madness)

O torneio da NCAA foi criado em 1939 por um treinador de basquete da universidade de Ohio State, chamado Harold Olsen. Mas foi a partir de 1985 que o torneio tomou o formato como conhecemos até hoje com 64 universidades. A NCAA sempre usou o sistema “mata-mata” para seus torneios, por entender que era mais atraente para o publico, o que atrairia mais pessoas aos ginásios. Além do mais, o sistema de torneio da NCAA é bem curto e pode facilmente ser acomodado dentro de apenas um mês fazendo com que o custo financeiro seja menor.

Com o decorrer dos anos, o torneio ganhou fama, respeito e admiração dos fãs a ponto de se tornar um dos eventos mais assistidos em toda a América. Já nos anos 80, o torneio da NCAA começou a ser chamado de “March Madness” (loucuras de Março em português) e “Big Dance” pelo formato do torneio, além da quantidade de jogos em tão pouco tempo, com grande parte acontecendo em apenas quatro dias no mês de Março.

Mais recentemente a NCAA adotou uma eliminatória que antecede o inicio do torneio para que pudesse incluir ainda mais universidades no torneio. Essa eliminatória é chamada de First Four fazendo, portanto oito equipes lutam por quatro vagas para se juntar as 60 pré-classificadas.

5.1- Critérios de seleção para o torneio da NCAA

Como disse no ponto anterior, cada conferencia tem seu próprio torneio mata-mata em que o campeão garante a vaga para participar do torneio da NCAA. Ao todo são 32 conferências logo 32 vagas estão reservadas para os campeões dos torneios das conferencias. Para as outras 36 vagas restantes, um comitê da NCAA formado por diretores atléticos de conferências e universidades se reúnem para decidir quais universidades ficarão com as vagas. Os critérios são:

  • Rating Percentage Index, RPI – índice de porcentagem de notas
  • Classificação no ranking nacional
  • Força de calendário (Qualidade técnica dos adversários enfrentados ao longo da temporada)

Também existe um RPI adaptado, usado pelo comitê de seleção. Os ajustes levam em conta fatores como vitórias contra times com excelente classificação. Esse RPI adaptado não é revelado.

OBS: Por ter um nível técnico menor, as Mid-Majors dão apenas uma vaga para o torneio. Mas não é difícil ver duas ou mais equipes de conferencias menores serem selecionadas para o torneio da NCAA.

OBS 2: Em compensação, uma Major conference como a ACC por exemplo, sempre tem 7 ou 8 times selecionados pro torneio por ser considerada uma conferencia muito competitiva e com nível atlético e acadêmico excelente.

5.2- Separação das equipes em regiões através das Seeds

Com as 68 equipes definidas para o torneio da NCAA, o mesmo comitê que escolheu as universidades, agora tem a tarefa de ranquear todas elas de 1 a 68. Após isso o comitê distribui as equipes pelas quatro regiões (MidWest, South, West, East) levando em conta o equilíbrio técnico e as vezes a localização geográfica das universidades. Dentro de cada região as equipes recebem um novo número de ranqueamento que vai de 1 ao 16. Quanto menor o número maior é o nível técnico do time universitário. O chaveamento é feito para que o time de menor seed (numero de ranqueamento) enfrente o de maior seed dentro de sua região até que só sobre uma equipe.

5.3- First Four

O First Four é uma fase preliminar em que oito equipes universitárias devem se enfrentar em busca de quatro vagas no torneio da NCAA. O primeiro First Four aconteceu em 2011. De lá pra cá todos os anos pelo menos uma equipe que passa pelo First Four chega a uma fase mais adiante no torneio principal. Estas oito universidades são escolhidas de forma diferente. Entenda:

  • Quatro universidades campeãs de torneios conferencionais, jogam entre si por duas vagas no torneio da NCAA. As duas equipes vencedoras receberão a seed de numero 16. Estas quatro universidades são de quatro Mid Majors com o nível técnico mais baixo apresentado ao longo da temporada em toda a NCAA.
  • As outras 4 universidades são convidadas pelo comitê. Estas universidades costumam serem equipes que tiveram uma boa temporada, mas que não conseguiram uma classificação direta ou que não tiveram um desempenho que chamasse a atenção do comitê para entrarem direto na fase principal do torneio. Estas equipes podem ser de Major conference ou não, mas todas devem ter um recorde positivo na temporada (mais vitórias que derrotas) para participarem. As equipes vencedoras recebem a seed de número 11 no torneio da NCAA.

5.4- First Round

Após a definição das equipes que vem do First Four, dá se início ao First Round. O First Round também chamado de round 64, é a etapa mais “louca” do March Madness por conter 32 jogos em apenas dois dias. Como falei anteriormente, a seed 1 enfrenta a seed 16, a seed 2 enfrenta a seed 15 e assim por diante em cada região, até termos apenas 32 equipes definidas. 16 jogos do primeiro round acontecem numa quinta feira e os outros 16 jogos acontecem na sexta feira.

OBS: Nunca na historia do March Madness, uma equipe com seed 16 venceu outra com seed 1. Mas já tivemos uma seed 15 vencendo outra seed 2.

OBS: No ano passado (2016), Michigan State então favorita ao título e com a seed 2, perdeu para Middle Tennessee State que era seed 15 provocando um dos maiores UPSETS da historia do torneio da NCAA.

5.5- Second Round

Também chamado de round 32, o segundo round é onde as maiores zebras do first round costumam cair. Tradicionalmente aqui ocorre a consolidação dos favoritos ao título e costumeiramente uma ou outra equipe desponta para ser uma surpresa no torneio. O round 32 é jogado no sábado e domingo imediatamente após a primeira rodada. A segunda rodada consiste em vencedores de quinta-feira jogando no sábado, seguido por vencedores dos jogos de sexta-feira, jogando no domingo. Assim, após o primeiro fim de semana, 16 equipes vão permanecer para jogar a próxima fase, vulgarmente conhecida como o “Sweet Sixteen”.

Veja este vídeo da partida entre Northern Iowa e Texas A&M no torneio da NCAA em 2016, exatamente no Second Round:

5.6- Sweet Sixteen (Semifinais Regionais)

O Sweet Sixteen é na verdade as semifinais regionais de cada região ou um round 16. Aqui, acontecem alguns dos maiores clássicos do college basketball e muitos favoritos são eliminados. Os times de conferências menores que chegam até aqui, costumam ser eliminados nesta fase. Os jogos do Sweet Sixteen acontecem uma semana depois do First Round, também numa quinta e sexta feira.

5.7- Elite Eight (Finais Regionais)

Se o Sweet Sixteen é a semifinal, o Elite Eight é o jogo final de cada uma das quatro regiões. Estes jogos são disputados no sábado e no domingo seguinte aos dias do Sweet Sixteen.

OBS: A seed mais baixa a aparecer nesta fase do torneio foi a seed numero 12 em 2002. Naquele ano, a universidade do Missouri conseguiu chegar até esta fase vencendo equipes tradicionais como: Miami (FL), Ohio State e UCLA, perdendo no Elite Eight para Oklahoma que era seed 2.

6- Final Four

Os campeões de cada região avançam para a fase seguinte que é o Final Four. O Final Four nada mais é do que as semifinais nacionais. Aqui estão as quatro melhores equipes do país e este é o evento mais aguardado pelos fãs do basquete universitário. As universidades que chegam ao Final Four se sentem como campeãs, pois entre 351 universidades, estão entre as quatro melhores.

O Final Four é realizado em um lugar previamente definido com anos de antecedência. A NCAA tem escolhido estádios de futebol americano para comportar esse evento de uns anos pra cá e tem sido um sucesso de público e de audiência. Segundo estimativas, a audiência do Final Four é maior que da Final nacional.

Os jogos são realizados em sequencia no primeiro sábado de Abril, com os vencedores fazendo a disputa pelo título nacional na segunda feira seguinte ao Final Four.

Veja a lista com as sete universidades que tem pelo menos 10 aparições no Final Four:

Aparições Universidade
19 North Carolina
17 Kentucky e UCLA
16 Duke
15 Kansas
10 Louisville e Ohio State

7- Final do Campeonato Nacional

A grande final nacional acontece sempre na primeira segunda feira de Abril com transmissão para vários países, incluindo o Brasil. Várias universidades já venceram o torneio da NCAA e muitas outras chegaram perto disso.

O Final Four e a grande final nacional sempre acontecem no primeiro final de semana do mês de Abril.

Veja a lista dos maiores campeões:

Escola Títulos Anos
UCLA 11 1964, 1965, 1967, 1968, 1969, 1970, 1971, 1972, 1973, 1975, 1995
Kentucky 8 1948, 1949, 1951, 1958, 1978, 1996, 1998, 2012
NorthCarolina 6 1957, 1982, 1993, 2005, 2009, 2017
Indiana 5 1940, 1953, 1976, 1981, 1987
Duke 5 1991, 1992, 2001, 2010, 2015

4 comentários sobre “3ª Parte: Entenda o March Madness”

  1. Pingback: PREVIEW 2017 #01- Conheça as 10 melhores Universidades MID-MAJOR – Live College Brasil

  2. Pingback: Março, seja bem vindo! – Live College Brasil

  3. Pingback: Entenda o March Madness - por Live College Brasil

  4. Pingback: FIRST FOUR: Conheça as 8 equipes que farão os primeiros jogos do torneio – Live College Brasil

Deixe uma resposta