Eric Musselman: melhor técnico mid-major do país?

O LiveCollegeBR através de seu redator Leonardo Sasso (@lsasso_) conseguiu uma entrevista exclusiva com Eric Musselman, técnico de Nevada. Acompanhe a matéria.

LEIA TAMBÉM! A Batalha por Nevada, de Filipe Eller.

Xícara de café na mão e uma entrevista especial sendo preparada. Não sabia qual seria a resposta, se ela viria. Acreditei que pudesse acontecer. Aconteceu. Twitter aberto e o professor me seguiu. Aquele que para mim era apenas um ídolo, um técnico especial, tornou-se meu entrevistado. Poucas horas depois, respondeu às perguntas com a máxima tranquilidade e simpatia. Esse é Eric Musselman, um dos técnicos mais importantes e qualificados do College Basketball atualmente.

Dono de um currículo invejável, o técnico já passou pela NBA exercendo desde o papel de auxiliar até ser head coach principal de uma equipe. Tudo começou em 1988, quando teve suas primeiras experiências no comando de uma equipe. Na CBA (Continental Basketball Association – uma espécie de liga menor de basquete dos Estados Unidos) foi general manager do Rapid City Thrillers e teve como seu braço direito, o já falecido técnico Flip Saunders, de imensos serviços prestados ao esporte, principalmente no Minnesota Timberwolves. A temporada seguinte reservou espaço para Musselman se tornar técnico da equipe e, posteriormente, se juntar a seu pai, Bill, como auxiliar na equipe de Minnesota na NBA. Os trabalhos seguintes na CBA também lhe rendaram frutos e maturidade. O técnico era muito jovem e desde que terminou o College, não havia jogado profissionalmente.

1998 trouxe novo espaço na NBA e até 2002 foi auxiliar no Orlando Magic e Atlanta Hawks, em que trabalhou junto com Doc Rivers, Chuck Daly e Lon Krueger.

Créditos: Nevada Wolfpacks.

2002: o ano da redenção

O convite para ser head coach de uma equipe da NBA havia chegado. Eric teria a oportunidade de treinar o Golden State Warriors. Logo no seu primeiro ano, um imenso sucesso. 38 vitórias e 44 derrotas, melhor índice da equipe em dez anos. O técnico ficou em segundo na votação de melhor treinador da temporada, somente atrás de Gregg Popovich, que foi campeão junto com o San Antonio Spurs.

A segunda temporada no comando dos Warriors foi bem parecida com a primeira e o sucesso que era de se esperar não aconteceu. 37 vitórias em 82 jogos e a demissão no fim da temporada.

O caminho de Eric seguiu parecido. Auxiliar de times da NBA (Grizzlies e Kings) e técnico na D-League (liga de desenvolvimento da NBA), o treinador teve uma mudança na carreira em 2012, quando recebeu convite para voltar onde tudo começou: College Basketball.

Créditos: Nevada Wolfpacks.

Ensinando os jovens

As diferenças da NBA, basquete profissional, para o College, basquete amador, são imensas, isso não há dúvidas e Eric trabalhou em ambos. Jogou, auxiliou, aprendeu e treinou. Estas distinções são bem evidentes para o técnico:

 “Há tantas diferenças dentro e fora de quadra entre College e NBA. Fora de quadra, na NBA é tudo sobre basquete. No College, tem de se desenvolver o atleta-estudante dentro e fora da quadra, academicamente e socialmente para estarem prontos pro mundo real.”.

Desenvolver o atleta, tanto esportivamente quanto academicamente. Aspecto essencial e tão recompensador do College. Ver a evolução dos jogadores, em quadra e fora dela. A idade de cada um, seu desenvolvimento, seu jeito. Todos os atletas têm peculiaridades, diferenças, características. Cabe ao mentor, ao técnico, ajudar o seu atleta. O trabalho de Eric Musselman no College começou em 2012, em Arizona State, em que foi auxiliar de Herb Sendek. Duas temporadas depois, veio a proposta para ser associate head coach em LSU, junto com o técnico Johnny Jones. O sucesso e o reconhecimento vieram com o convite da Universidade de Nevada, da conferência Mountain West.

Ser técnico no College

Os Wolfpacks, como são conhecidos os jogadores e torcedores de Nevada, trouxeram Musselman para levar a Universidade a outro nível, de maior qualidade e de volta ao March Madness. A primeira temporada reservou 18 vitórias e 12 derrotas para Nevada, melhora e saldo de nove vitórias em relação ao ano anterior. Tudo isso culminou no título do CBI (torneio paralelo ao March Madness, com equipes que não se classificaram para o torneio principal e nem para o NIT). A experiência de tantos anos de NBA pode ter ajudado neste primeiro ano como técnico principal na NCAA:

 “Ter experiência na NBA me beneficiou no College.”.

A segunda temporada foi de resultados ainda mais positivos para os Wolfpacks. 28 vitórias em 35 jogos. Título da conferência Mountain West. Passaporte para o March Madness. A derrota veio logo de cara, no primeiro jogo, contra Iowa State, poderosa equipe da Big 12, mas Eric Musselman e seus comandados já haviam traçado um caminho de glória.

Johnny Jones se tornou auxiliar de Eric Musselman e a partir da temporada 2017-18 estará junto com o técnico para alavancar ainda mais o basquete de Nevada. A experiência trazida por Eric de seus trabalhos anteriores certamente deixou o percurso em Reno mais fácil.

 “Eu aprendi muito tanto do Coach Sendek quanto do Coach Jones. Johnny se juntou ao nosso staff em Nevada agora. Eu me sinto muito afortunado por ter trabalhado com tão bons mentores no College.”.

Créditos: John Reed-USA TODAY Sports

Para a próxima temporada, o desafio é melhorar o desempenho e ir mais longe no March Madness. Algumas novidades deverão acontecer. Cameron Oliver, Marcus Marshall e D.J Fenner se formaram. Vários jogadores chegaram via transferências de outras universidades e esse parece ser o maior poder de Eric e Nevada hoje: buscar jogadores de outros times.

 “…Nós sentimos que nossos jogadores transferidos estão prontos para entrar e jogar. Eles tiveram um ano sob nosso sistema em que não puderam jogar devido as regras da NCAA, mas eles tiveram a chance de aprender nosso sistema, terminologia e se desenvolver. Nós achamos que Caleb e Cody Martin (irmãos ex-North Carolina State) e Kendall Stephen (ex-Purdue) vão ter um grande impacto no nosso time este ano.”.

A receita do sucesso está pronta. A temporada 2017-18 será de colheita de frutos ainda mais duráveis para Nevada e Eric Musselman. O ponto forte de seu time, ele define em uma frase:

“Our system is what we call positionless basketball.”.

Todos podem fazer qualquer posição dentro de quadra. União de todos, mas certamente uma posição eles querem e muito: a primeira colocação.

1 comentário sobre “Eric Musselman: melhor técnico mid-major do país?”

  1. Pingback: Nevada continua saga por transferências – Live College Brasil

Deixe uma resposta