O melhor e o pior da Summer League

A Summer League da NBA acabou e, com ela, algumas certezas, surpresas e decepções. O Portland Trail Blazers foi campeão ao bater o Los Angeles Lakers, mas o que menos interessa é o resultado nesta competição e, sim, a evolução de cada atleta.

O LiveCollegeBR decidiu analisar o que de melhor e o que de pior aconteceu na edição de 2018.

MELHOR JOGADOR: Josh Hart (Lakers)

MVP do Torneio, Josh Hart impressionou pela consistência e maturidade no seu jogo. Fez ótimas apresentações, inclusive um jogo de 37 pontos na semifinal da competição. Traz um bom arremesso do perímetro e solidez defensiva. Jogador valioso vindo do banco dos Lakers para a próxima temporada.

IMPRESSIONOU: Kevin Knox (Knicks)

Knox foi o melhor calouro do Torneio junto com Wendell Crater Jr. Mostrou um arremesso mais sólido e, principalmente, usou seu atleticismo para infiltrar com muita facilidade. Lembra Jayson Tatum em alguns aspectos. Não jogou tudo o que podia no College e o encaixe na NBA parece mais perfeito do que na NCAA. Espere um bom ano do novo jogador dos Knicks.

SURPREENDEU: Mitchell Robinson (Knicks)

Talvez dos pivôs que foram draftados, Robinson era o menos falado. Muito disso por seu comportamento. Não jogou no College na temporada passada e ficou um ano se preparando para o Draft. Mostrou ser uma força defensiva e também sólido no ataque. Já fará parte da rotação dos Knicks e pode ser considerado um steal do recrutamento.

STEAL DE SEGUNDA RODADA: DeAnthony Melton (Rockets)

Conforme já havíamos falado aqui no LiveCollegeBR, Melton correspondeu às expectativas. Um dos melhores defensores do perímetro do Torneio, teve qualidade para armar o jogo e até surpreendeu nos arremessos do perímetro, um dos piores quesitos no College. Os Rockets ganham um jogador que fará parte da rotação e um prospecto para o futuro.

DECEPÇÃO: Dragan Bender e Josh Jackson (Suns)

Os Suns tinham um dos times mais fortes da Summer League. Com Ayton, primeira escolha, Bender, Josh Jackson e outras duas escolhas do último Draft, Mikal Bridges e Elie Okobo, a equipe decepcionou. Mas nada superou os péssimos desempenhos de Bender e Jackson.

O croata ainda não decolou na NBA e tem se tornado apenas um arremessador do perímetro, apesar dos 2.18m. Jackson tinha tudo para ser um dos mais dominantes no Torneio. Teve dificuldades para criar seu próprio arremesso e ter o papel de scorer da equipe.

MAIS BADALADO: Trae Young (Hawks)

Nada e ninguém teve maior badalação que Young. O armador comparado com Curry teve alguns momentos interessantes, mas no geral seu arremesso não caiu. A dificuldade para finalizar próximo ao aro chamou a atenção. O corpo ainda não está pronto para a NBA. Do lado bom, fica a capacidade de criar para seus companheiros. Young tem alto QI e excelente visão de jogo. Será o principal jogador dos Hawks na temporada.

MELHOR PROSPECTO A LONGO PRAZO: Jaren Jackson Jr. (Grizzlies)

Jackson tem tudo para ser uma estrela da NBA. Nos Grizzlies, terá tempo de quadra e poderá mostrar todo seu arsenal ofensivo e defensivo. Bloqueou muitos arremessos e abusou dos chutes de fora (a maioria com êxito). Ainda tem que evoluir seu físico e o jogo no garrafão, mas já se mostra com um futuro imenso pela frente.

MELHOR SEGUNDO-ANISTA: Derrick White (Spurs)

Pop ganhou um excelente jogador para a rotação da equipe. White foi letal nos arremessos de média distância. Sólido defensor, ainda armou os Spurs na competição. Fará parte de um perímetro com Murray, DeRozan, Forbes, Lonnie Walker, Bellinelli, Ginóbili e Mills. Poderá ter espaço.

MENÇÕES HONROSAS: Wendell Carter Jr (Bulls), John Collins (Hawks), Svi Mykhailiuk (Lakers) e Trevon Bluiett (Pelicans)

Wendell Carter Jr deixou a torcida dos Bulls esperançosa. Se mostrou uma força no garrafão, tanto defensivamente quanto ofensivamente. Bom arremesso do perímetro e um jogo de costas para a cesta em pleno desenvolvimento. Junto com Lauri Markkanen, poderá fazer um garrafão de longo tempo em Chicago.

Collins mostrou que poderá fazer parte do rebuild dos Hawks junto com Young. Evoluiu nos arremessos e continuou demonstrando sua agilidade no garrafão. O ucraniano Mykhailiuk foi uma das principais surpresas da Summer League. Mesmo com 21 anos, já jogou quatro anos no College e foi fatal nos arremessos do perímetro.

Bluiett foi tão bem nos dois primeiros jogos da Summer League, que assinou um contrato com os Pelicans. Merecido para um scorer nato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *