Os Dez Melhores Jogadores da Classe de 2018 (ATUALIZADO)

O Live College Brasil apresenta o TOP 10 , só que dessa vez para a  classe de 2018. Como no anterior, vamos continuar mostrando as suas principais qualidades e no que eles podem melhorar para evoluir o seu jogo.

O Top 10 foi feito pelo Felipe Souza e Italo Vieira, espero que curtam.

1.     Marvin Bagley III
2.    Zion Williamson
3.     Romeo Langford
4.     Emmitt Williams
5.     Jordan Brown
6.     Cameron Reddish
7.     Khavon Moore 
8.     Simi Shittu
9.     Carte’Are Gordon

10.  Immanuel Quickley

1º Marvin Bagley III (Sierra Canyon, CA): A estrela da classe de 2018, é um ala pivô extremamente habilidoso, com excelentes atributos físicos. Ele é rápido e muito técnico, também é muito bom pegando rebotes na defesa e no ataque. É extremamente versátil jogando dentro e fora do garrafão com a mesma desenvoltura. E é um atleta que sabe marcar pontos de qualquer lugar da quadra. Fez uma temporada regular  fantástica esse ano, terminando com médias de 24.4 PPG, 9.7 RPG e 6.8 APG.

O que precisa melhorar: Sua maior dificuldade ainda é a finalização de jogadas quando tem contato físico de adversários mais fortes. Seu controle de bola também não é dos melhores e precisa evoluir, assim como sua postura de arremesso após o drible.

2ª Zion Williamson (Spartansburg Day School, SC): Zion é um ala / ala pivô que tem uma boa mobilidade, agilidade e bastante rapidez para executar jogadas próximas da cesta. Também possui uma boa capacidade para criar seus próprios arremessos. Possui excelente QI defensivo. E tem um bom arremesso de curta e média distancia. Foi de longe o atleta que mais se destacou nesse ano. Zion pôde também mostrar outras qualidades que não vimos antes de fazer o primeiro “Top 10”, como o seu arremesso bom de longa distância e a boa qualidade nos passes.

O que precisa melhorar: Ele possui a necessidade de trabalhar com as duas mãos, pois sempre tem a tendência de utilizar o lado esquerdo por ser canhoto.

3ª Romeo Langford (New Albany Senior High School, IN): Melhor ala armador da classe de 2018, Romeo tem um talento natural para pontuar e pode fazer isso de todas as maneiras possíveis e de todos os 3 níveis da quadra de ataque . Muito habilidoso e atlético, usa bem seus atributos físicos pra chegar até o aro com infiltrações.  Também é um excelente defensor de perímetro e tem um bom posicionamento para conseguir rebotes defensivos.

O que precisa melhorar: Sua qualidade de passe precisa ser aperfeiçoada para que se torne um ala-armador mais completo. Outra característica que vai necessitar ser trabalhada é a grande quantidade de turnovers cometidos.

4ª Emmitt Williams (IMG Academy, Flórida): Emmitt é um ala pivô de 6’8 (2,03 m) com boa habilidade de jogo dentro do garrafão. Emmitt se sente mais confortável jogando na posição 4 no entanto, tem evoluído muito bem os arremessos de média distancia e com mais treinos, pode ser utilizado como ala (SF). Ele é muito eficiente finalizando próximo a cesta, muitas vezes sem um drible. Defensivamente, tem um grande potencial para ser trabalhado

O que precisa melhorar: Apesar de atuar dentro do garrafão na maioria das vezes, Emmitt tem dificuldades no jogo de costas para a cesta e precisa evoluir bastante nesse fundamento. Outro problema notado em seu jogo é a falta de força física contra homens mais fortes no garrafão, precisando portanto adicionar mais força muscular para chegar mais preparado ao college.

5ª Jordan Brown (Woodcreek High School, Califórnia): Jordan é o melhor pivô da classe. Seu ponto forte é o trabalho de costas para a cesta e sua excelente fluidez para se movimentar em quadra. Também possui muita qualidade para finalizar quando está próximo a cesta, utilizando as duas mãos. É excelente pegando rebotes defensivos. E é um excelente bloqueador de tiros na defesa.

O que precisa melhorar: Sua mecânica de arremesso precisa ser melhorada com certa urgência para que seus arremessos de média e longa distancia tenham uma boa consistência. Seu controle de bola é outro fator preocupante, tendo por causa deste problema alta taxa de bolas perdidas.

6ª Cameron Reddish (Westtown School, PA): Atlético, ágil e decisivo. Esse é a melhor forma de descrever o Reddish. Um ala que usa muito bem sua versatilidade para infiltrar na defesa e concluir as jogadas. E também pode passar a bola com muita qualidade. Possui uma ótima mecânica de arremesso e controle de bola.

O que precisa melhorar: Uma das poucas deficiências notadas em seu jogo talvez seja a dificuldade de marcar alas mais fortes que costumam jogar usando infiltrações. Marcar arremessadores de perímetro são outra dificuldade notada em Reddish. Seu arremesso de três pontos pode e deve ser melhorado com o tempo.

7ª Khavon Moore (Westside High School, Geórgia): Moore é um daqueles ALAS que possuem uma habilidade incrível para pontuar, conseguindo ser mortal de qualquer ponto da quadra. Possui uma mecânica de arremesso consistente e faz passes com alta porcentagem de acerto, demonstrando uma ótima visão de jogo. Fisicamente é perfeito para jogar na posição de ala. E demonstra muita agilidade em transição rápida.

O que precisa melhorar: Apesar de ter uma boa altura para a posição de ala (6’8) não consegue dominar os rebotes ofensivos e defensivos. Também não possui um bom controle de bola, cometendo erros bobos durante os jogos. Sua defesa também é um problema e que deve ser melhorado assim que chegar a universidade.

8ª Simi Shittu (Vermont Academy, Southern Vermont): Shittu é um prospecto fisicamente dotado com muita versatilidade. Shittu possui  força e atleticismo, bom comprimento (2, 04 m). Sua capacidade de passar a bola apesar de seu tamanho é o que o diferencia de outros jogadores desse ranking, mostrando potencial para ser um point-forward. Sua capacidade para trabalhar a bola, sua visão de quadra e sua característica para playmaker chamam muito a atenção dos Scouts.

O que precisa melhorar: No garrafão, seu jogo é sempre de frente para a cesta e não com as costas para ela. Sua mecânica de arremesso também precisa ser melhorada para que ele possa se tornar uma ameaça mais consistente. Apesar de suas grandes habilidades na armação de jogadas, vai precisar desenvolver melhor a tomada de decisão e também aprender a jogar sem a bola.

9ª Carte’Are Gordon (Webster Groves High School, Missouri): É um ala pivô de muita força física. Sua principal qualidade é pegar rebotes, tanto ofensivo quanto defensivos. Normalmente aproveita muito bem “segundas oportunidades” para pontuar dentro do garrafão. Gordon teve a oportunidade de mostrar esse seu bom trabalho para os scouts, no Nike EYBL. Em que ele jogou na equipe campeã (MOKAN Elite) em praticamente todos os jogos como titular.

O que precisa melhorar: Apesar de ser um Ala-Pivô, não possui um bom trabalho de costa para a cesta e precisa melhorar nos arremessos de média distância. Normalmente é dominado nos movimentos de poste contra adversários mais ágeis e rápidos.

10ª Immanuel Quickley (The John Carroll School, Maryland):  Immanuel é um armador com excelente QI para a posição e possui um físico impressionante, com excelente altura (6’3) além de uma boa envergadura (6’8), pronto para enfrentar o jogo físico do college basketball. Suas características principais são o bom controle do corpo podendo alterar a velocidade e a direção sem nenhuma dificuldade e a boa desenvoltura para armar o jogo por sua equipe demonstrando uma capacidade impressionante para ser um playmaker de elite. Também deve ser destacado que Quickley tem um grande potencial defensivo.

O que precisa melhorar: Os arremessos são um problema para Quickley. De modo geral o problema está na mecânica de arremesso, que é lenta além de demonstrar falhas no ponto de lançamento da bola (ponto de lançamento abaixo da cabeça) fazendo com que seja bloqueado e não tenha consistência.

Deixe uma resposta