Por dentro da WCC

Standings Team Conf Overall
1 Saint Mary’s 0-0 4-0
2 Gonzaga 0-0 3-0
3 Portland 0-0 3-0
4 San Francisco 0-0 3-0
5 BYU 0-0 4-1
6 Pepperdine 0-0 4-2
7 Santa Clara 0-0 3-2
8 Pacific 0-0 2-2
9 San Diego 0-0 2-3
10 Loyola Marymount 0-0 1-2

 

Completamos dez dias de jogos da NCAA. Agora temos uma data base um pouco maior para começarmos a identificar tendências das equipes, como estão se portando até aqui, desafios que enfrentaram, comparativo com outras conferências e por ai vai.

Nesse primeiro momento, vou destacar cinco jogadores que vêm brilhando nesse início de temporada. Aliás, cada dia que passa estou mais apaixonado nesse time de Saint Mary’s. Time que vem demonstrando uma capacidade de cadenciar o jogo bem alta, além de conseguir envolver o adversário em seu jogo. Um ataque muito acima da média até agora, tendo a 2ª maior percentagem de conversão de 2 pontos (64,7%), baixíssimo percentual de turnovers ofensivos (13,0%), e FG% de 60,9% e com um altíssimo índice de assistências por FG Made: 64,8%. Números que impressionam ofensivamente e, logo após o quinteto desses 10 dias, tentarei apresentar outros fatores que agregam esse belo início dos Gaels. Vamos aos cinco:

1ronnie-boyce

PG – Ronnie Boyce – San Francisco Dons.

San Francisco foi um dos time que menos jogou na conferência, entrando em quadra três vezes até o momento. Destaco Boyce que fez dois double-doubles em três jogos e está com médias de 28 pontos e 7,3 rebotes. Ótimo início para o senior.

Jarvis Pugh

SG – Jarvis Pugh – Santa Clara Broncos.

Pugh está para o crime. Nos cinco jogos que Santa Clara fez, Jarvis fez 20+ pontos em duas oportunidades. Na partida contra Northern Colorando ele anotou sua career high de 26 pontos, além de pegar oito rebotes. Santa Clara até aqui venceu três vezes e perdeu em duas oportunidades.

Lamond Murray Jr., Kyle Collinsworth

SF – Lamond Murray Jr – Pepperdine Waves.

Murray Jr, ao lado de Jock Landale (Saint Mary’s), teve a maior pontuação individual da WCC com 33 pontos. A partida foi contra Weber State e resultou na vitória dos Waves por 69-68. Das seis partidas que Pepperdine fez, a universidade californiana venceu quatro. O detalhe é que Murray anotou 20+ pontos cinco vezes.

1zach-collins

PF – Zach Collins – Gonzaga Bulldogs.

Estou achando que errei feio no freshman da WCC. Zach Collins vai muito bem, obrigado. Jogar contra San Diego State é sempre difícil. Steve Fischer sempre monta uma equipe bem atlética e com defesa sólida, mas parece que Collins não foi avisado disso. O novato anotou 15 pontos, sendo 6-7 dos arremessos de quadra, e pegou oito rebotes. No duelo de uma das melhores equipes da WCC contra a melhor equipe da MWC, Zags venceu por 69-48.

1eric-mika

C – Eric Mika – BYU Cougars.

Esse sophomore está destruindo nos jogos de BYU. Três double-doubles em cinco jogos, em quatro anotou pelo menos 18 pontos tendo mais de 60% de FG de média e está com médias de 19,2 pontos e 9,4 rebotes. É sem dúvidas o melhor jogador desse início de temporada dos times da WCC. Um duelo interessante foi BYU contra Princeton, tida como uma das melhores da Ivy League. BYU venceu por 82-73 e Mika anotou 26 pontos e 18 rebotes. Olho nele.

 

Power Rankings WCC

  1. Saint Mary’s Gaels (4-0)

Um espetáculo até aqui. E não venha me falar que o calendário non-conference montado por coach Bennett foi fácil. Os Gaels passearam contra Nevada Wolfpack, um dos melhores times da MW, venceram Dayton fora de casa e ganharam de San José State com enorme facilidade. Como joga bola Saint Mary’s.

Nesse início, SMCG tem o 4º melhor ataque ajustado de toda a liga fazendo 117,1 pontos a cada 100 posses. A defesa, que não é um ponto forte dos times da WCC, até que não está tão mal: ocupa a 61ª posição. Um dado no mínino interessante é que Saint Mary’s é, no momento, a equipe que mais fica com a bola (em Adjusted Tempo) em toda NCAA. Em outras palavras, ocupa a 351ª posição. Ajustando as posses de 40 minutos por oponente, Saint Mary’s tem 63,7 posses. BYU é uma das equipes que define ataque mais rápido, na verdade a segunda da liga, e tem 79,4 posses ajustadas. Um último dado que gostaria de compartilhar é que os Gaels estão na 13ª colocação em Margem de Eficiência Ajustada em toda a liga. O que é isso? Nós temos a Eficiência Ofensiva e Defensiva Ajustada, ou seja, pontos feitos e sofridos por 100 posses ajustada por oponente. Como dito antes, Saint Mary’s possui o 4º melhor ataque ajustado com média de 117,1 pontos por 100 posses, além de levar 97,3 pontos por 100 posses. Subtraindo um pelo outro dá, aproximadamente, +19,96. Esse é o “saldo” da equipe e é o 13º maior “saldo” da liga. Atualmente o top 5 é ocupado por Duke, UNC, Villanova, Kentucky e Virginia.

  1. Gonzaga Bulldogs (3-0)

Zags vêm em segundo no meu Power Ranking. Ok, no AP top 25 Gonzaga está à frente de Saint Mary’s, mas aqui busco mesclar informações. Em se tratando de Margem de Eficiência Ajustada, Zags têm +18,95, resultando na 20ª colocação da liga. O time já é um pouco mais equilibrado que Saint Mary’s. Eficiência Ofensiva Ajustada está em 113,1 e Defensiva em 94,1. Porém o calendário de Gonzaga é bem fraco mesmo enfrentando San Diego State dentro desses três jogos. Apenas três times acima do top 20 tiveram uma força de calendário mais fraca que Gonzaga: West Virginia (#19), Virginia (#5) e Syracuse (9). Mesmo assim Gonzaga venceu os três dando blowout.

  1. BYU Cougars (4-1)

Para você que está acostumado com o estilo jogo do Warriors em questão de tempo de definição de jogada, assista BYU. Só não espere o mesmo nível de talento, POR FAVOR. Suns e Nets são as únicas equipes com maior pace que o Warriors na NBA. BYU tem o segundo ataque mais rápido em questão tempo para definir jogadas na liga. Mesmo assim tem um bom ataque, ocupando a 41ª posição como Eficiência Ofensiva Ajustada. A equipe ocupa a 45ª melhor posição em “saldo” (explicado anteriormente) e vou colocá-la no 3º lugar da WCC. Destaco Nick Emery, TJ Haws e principalmente Eric Mika.

  1. Portland Pilots (3-0)

A defesa de Portland ainda não foi testada. No seu calendário até aqui, a média de Eficiência Ofensiva Ajustada dos oponentes, em comparação com a liga, está entre as 30 piores da liga. Ou seja, a média de eficiência dos ataques dos adversários de Portland, até agora, é o 21º pior. Portlando foi a segunda pior defesa da WCC na temporada passada. Seu “saldo” é de +1,14 mesmo enfrentando ataques tão fracos. Poderemos ver os Pilots caindo deste lugar em breve. Principalmente porque enfrenta três adversários complicados nos próximos quatro jogos: UCLA, Colorado e Boise State. Alec Wintering, Gabe Taylor e Jazz Johnson vêm se destacando.

  1. Pepperdine Waves (4-2)

A partir de Pepperdine as equipes da WCC têm “saldo” negativo. Os waves cravam até agora -1,35. Um fator interessante é que Pepperdine é a quarta equipe da liga com maior índice de sorte: +2,50. Este índice pega a performance atual com a esperada, ou seja, sua winning percentage e o esperado de acordo com o que foi apresentado de sua eficiência em quadra. Pepperdine venceu duas partidas por apenas um ponto (Weber State e Arkansas Little-Rock) e duas por menos de três posses. Podem ir agradecendo Lamond Murray Jr e Chris Reyes por estas vitórias.

  1. Pacific Tigers (2-2)

A defesa de Pacific vem tendo desempenho superior às defesas de Portland e Pepperdine. O ataque ajustado de seus adversários é bem superior em relação à dupla citada. Os Tigers mantiveram uma defesa bem equilibrada dado o talento baixo de sua equipe. A equipe procura definir seu jogo rapidamente (72,7 em Adjusted Tempo) e talvez seja o motivo de um dos piores Effective FG% da liga: 41,5% dando a 327ª posição. Aqui temos quatro jogadores com dois dígitos em pontuação média: TJ Wallace (15,3), David Taylor (13,3), Jack Williams (12,5) e Ray Bowles (10,3). Dois dados interessantes: Pacific é a 36ª equipe que com maior Steal%: 5,9; e a 5ª pior em Block%: 1,4.

  1. Loyola Marymount Lions (1-2)

Mas como LMU se Santa Clara e San Fracisco estão positivos? Bom, precisamos levar em conta a força do calendário, scoring margin, ataque, defesa, e não apenas sua campanha. Loyola Marymount enfrentou Nevada fora de casa e recebeu UConn. Perdeu ambas, mas eram jogos dificílimos para o porte da equipe e, por exemplo, contra UConn perdeu por uma posse. A força do calendário dos Lions é +7,80, enquanto dos Broncos é de -14,76 e dos Dons -8,63. O ataque ajustado de Loyola é melhor que o de Santa Clara e San Francisco. Já a defesa ajustada é apenas 0,02 pior em relação à defensa de Santa Clara e é superior à de San Francisco. Além disso, voltemos ao fator sorte para explicar a escolha de LMU na 7ª posição. Luck de LMU é de -0,136, o 27º pior da liga. Seu record não explica seu time. A pior parte de seu schedule já passou. Vamos ver como se sai daqui pra frente.

  1. Santa Clara Broncos (3-2)

Santa Clara teve a pior defesa da WCC na temporada passada e tem tudo pra manter esse título. A força de seu calendário é a 9ª pior da liga, a média de Eficiência Ofensiva Ajustada de seus oponentes é a 9ª pior da liga (até agora) e mesmo assim sua defesa teve péssimo desempenho. Permitiu 105,3 pontos ajustando para 100 posses. SCU vai precisar muito mais de seu ataque para ir bem nos jogos de conferência. Jared Brownridge vem tendo o pior aproveitamento de FG de sua carreira: 36,4%. Conquanto é o cestinha do time com 16,8 pontos de média.

  1. San Francisco Dons (3-0)

O espaço amostral dos Dons não é dos maiores da WCC, o que dificulta sua comparação com os demais. Eu o coloquei em 9º no preview e vou mantê-lo aqui por enquanto. Mesmo vencendo os seus três jogos, seu “saldo” é de -4,96. Sua defesa não foi muito bem e ajustando-a fica em 106,5 pontos por 100 posses, embora tenha enfrentado adversários muito fracos ofensivamente. O Luck Index é o 82º maior da liga: +0,75. Posso destacar desse time os pontos vindo do banco. A média da liga é que 31,9% dos pontos venham do banco. Já os Dons têm 37,2%. Dos próximos oito jogos de San Francisco apenas dois deles a previsão é de derrota (Eastern Washington e Utah), até o momento. Olhando as projeções para os jogos de conferência, a previsão é de 4 vitórias em 18 jogos. Estou adiantando sua força de calendário non-conference. Ao final de sua programação fora dos jogos da WCC a campanha dos Dons pode enganar. Estamos de olho.

  1. San Diego Toreos (2-3)

O Adjusted Offensive Efficiency de San Diego está quase entre os 50 piores da liga. A equipe teve o pior ataque na temporada 2015-16 na WCC e provavelmente terá nessa temporada também. O time força poucos turnovers, dá poucos tocos e tem baixa média de roubos de bola, o que contribui para o desempenho fraco na defesa. Mas nem tudo é defeito em San Diego. 40,7% dos pontos dos Toreos vem da linha de 3 pontos, dando a 18ª colocação como mais alta porcentagem. A média da liga é de 29,7%. Quando olhamos o 3P% a equipe tem 40,3% de aproveitamento. Um índice bem alto pro volume apresentado. A média da liga é de 34,2%.

 

Ranking of Conferences

Usando a média de Eficiência Ajustada do Ataque e Defesa é possível parametrizar para todas as conferências e ver quais tem um rating maior. Em outras palavras, o desempenho ofensivo e defensivo das equipes daria dimensão em quais conferências têm os melhores times.

O top 15 da temporada passada (2015-16) ficou assim:

Colocação Conference Rating
1 Big 12 +17,51
2 ACC +16,71
3 Big East +13,92
4 Pac 12 +13,00
5 Big 10 +12,89
6 SEC +11,20
7 AAC +8,16
8 A10 +5,48
9 Mountain West +3,32
10 Colonial +3,17
11 MVC +1,58
12 Mid American +0,42
13 Big West +0,01
14 West Coast -0,08
15 Summit League -0,39

 

Nesta temporada (2016-17), por enquanto está assim:

Colocação Conference Rating
1 ACC +17,22
2 Big 12 +16,10
3 Big East +14,62
4 Big 10 +13,28
5 Pac 12 +11,71
6 SEC +9,31
7 AAC +5,21
8 A10 +4,99
9 MVC +1,88
10 Mountain West +1,79
11 West Coast +1,03
12 Mid American +0,68
13 Colonial 0,12
14 Ivy League -1,62
15 Sun Belt -2,00

 

Temos uma elevação na WCC. Vou trazer esse ranking constantemente para sabermos a performance dos times da WCC diante das outras conferências. Particularmente espero ao menos que a WCC termine entre as 10 primeiras.

 

Career High Individuals

Nesta série vou trazer atualizações de cada stat individual onde tivemos o mais alto número da temporada. Mudarei a cor das letras onde algum jogador quebre a maior marca da temporada, apenas para facilitar sua identificação.

Individual Player Game Highs
Stat Player Team Game
Points 33 Jock Landale Saint Mary’s vs Nevada (11/11/16)
33 Lamond Murray Jr Pepperdine vs Weber State (15/11/16)
FG Made 15 Jock Landale Saint Mary’s vs Nevada (11/11/16)
FG Attempts 27 Lamond Murray Jr Pepperdine vs Weber State (15/11/16)
FG% 90,90% Chris Reyes Pepperdine vs Cal Poly (11/11/16)
3PT FG Made 7 Jared Brownridge Santa Clara vs Sacred Heart (21/11/16)
3PT FG Attempts 16 Jared Brownridge Santa Clara vs Sacred Heart (21/11/16)
3PT% 71,40% Jordan Matthews Gonzaga vs San Diego State (14/11/16)
FT Made 12 Eric Mika BYU vs Princeton (14/11/16)
FT Attempts 13 Eric Mika BYU vs Princeton (14/11/16)
FT% 92,30% Eric Mika BYU vs Princeton (14/11/16)
Rebounds 18 Eric Mika BYU vs Princeton (14/11/16)
Assists 11 Jeremy Major Pepperdine vs Cal Poly (11/11/16)
11 Alec Wintering Portland at San José State (15/11/16)
11 Emmett Naar Saint Mary’s vs Prairie View A&M (16/11/16)
11 Matt Hauser Santa Clara vs Sacred Heart (21/11/16)
Steals 4 Amadi Udenyi Pepperdine vs Cal Poly (11/11/16)
4 Mladen Djordjevic San Francisco vs UIC (11/11/16)
4 Amadi Udenyi Pepperdine vs Life Pacific (17/11/16)
4 T.J. Wallace Pacific vs Wyoming (22/11/16)
4 Nassir Barrino San Diego vs Bethune-Cookman (22/11/16)
Blocked Shots 5 Chris Reyes Pepperdine vs Life Pacific (17/11/16)
Turnovers 7 Emmett Naar Saint Mary’s at Dayton (19/11/16
7 Brett Bailey San Diego vs Bethune-Cookman (22/11/16)

 

A temporada está aberta oficialmente no mundo da West Coast Conference. Enjoy it!

Deixe uma resposta