Preview 2018-19 | #36 Loyola-Chicago Ramblers

O LiveCollegeBR segue com suas série previews para a temporada 2018/19 agora com Loyola-Chicago, equipe que mais surpreendeu e foi a grande história da NCAA com a chegada ao Final Four do March Madness. Confira!

Informações sobre a Universidade

Localização: Chicago, Illinois
Treinador: Porter Moser
Conferência: Missouri Valley
Recorde 2017/18: 32 vitórias e 6 derrotas no geral (15 vitórias e 3 derrotas na American)
Saídas Importantes: SG Donte Ingram (11,0 ppg | 6,4 rpg)
Chegadas de Impac­to: SF Will Alcock (freshman)

Como foi na temporada passada

História. Ninguém esperava que Loyola-Chicago brilharia na temporada passada. Sister Jean iluminou todos os jogadores e junto com sua simpatia, os Ramblers conseguiram o impensável. Upsets e mais upsets até o Final Four. A eliminação para Michigan na semifinal nacional foi sentida, mas o feito da equipe muito maior.

Pode-se começar falando de Loyola pelo armador da equipe: Clayton Custer. O jogador foi o cestinha e líder de assistências da equipe e essencial no March Madness, com bolas decisivas. Já Donte Ingram foi o atleta mais talentoso do elenco. Fez a bola da vitória no estouro do cronômetro contra Miami na primeira rodada do March Madness.

Cinco jogadores tiveram pelo menos 10 pontos por jogo. Com 16 assistências por partida, os Ramblers foram um dos times que mais dividiram o jogo na temporada. A defesa também foi uma das que mais se destacou no país e isso foi crucial para a ótima campanha. Sofrendo somente 62,6 pontos por jogo, os Ramblers conseguiram a 6ª melhor marca da nação. No saldo ajustado a cada 100 posses d ebola, a equipe teve o 17º melhor índice.

Mas o ponto principal foi a união e o técnico Porter Moser. Mudanças chaves que alteraram os rumos das partidas, tanto que o principal cestinha de cada jogo do time no March Madness foi diferente. Com 52,6% de FG na temporada, Loyola-Chicago liderou o país e fez história.

Donte Ingram foi um dos destaques dos Ramblers (Getty)

Previsão para a temporada 2018/19

Repetir o feito de 2017-18 é quase impossível. Ainda mais depois de perder jogadores importantes como Donte Ingram, Aundre Jackson e Bem Richardson que somaram 28 dos 72 pontos por jogo da equipe.

Custer retorna, sinal de controle na armação da equipe. Marques Townes, seu companheiro de perímetro, também volta para o último ano. Cameron Krutwig, pivô que brilhou no March Madness, vai para a segunda temporada embalado pelo bom desempenho. Nomes como Lucas Williamson e Bruno Skokna devem aproveitar as saídas para ganharem maior minutagem.

A maior questão é saber como Porter Moser vai tirar o máximo de um time que teve quase seu ápice atingido. Que Sister Jean os ajude.

Fique de Olho

Clayton Custer | armador | 1,85 metros | Senior

Custer brilhou. Foi o cérebro da equipe. Não, você não o verá na NBA, mas para quem acompanha o College é aquele nome que ficará marcado na história da Universidade e da conferência Missouri Valley. Talentoso, rápido e muito inteligente. Mascara a falta de atleticismo com QI de jogo elevado.

Com 13,2 pontos por jogo, liderou a equipe, assim como nas assistências com 4,1 de média. Na temporada que vem, será ainda mais importante e visado, o que o dificultará, no entanto o fará mostrar todo o seu potencial em Loyola-Chicago.

Deixe uma resposta