Preview 2018-19 | #40 Georgetown Hoyas

O LiveCollegeBR segue com suas série previews para a temporada 2018/19 agora com Georgetown, equipe treinada pelo lendário Patrick Ewing, que deverá fazer um ano bem mais interessante. Confira!

Informações sobre a Universidade

Localização: Georgetown, Washington
Treinador: Patrick Ewing
Conferência: Big East
Recorde 2017/18: 15 vitórias e 15 derrotas no geral (5 vitórias e 13 derrotas na American)
Saídas Importantes: PG Marcus Derrickson (15,9 ppg | 8,1 rpg)
Chegadas de Impac­to: PG Mac McClung (freshman)

Como foi na temporada passada

Coletividade. Esse foi o lema de Georgetown na temporada passada. O primeiro ano de Patrick Ewing foi de um calendário não-conferencional péssimo, com adversários fracos que não ajudaram os Hoyas a terem experiência para as partidas da Big East. O desempenho ficou claro quando a conferência começou. 5 vitórias em 18 jogos.

O ponto positivo foi o número de assistências. Com uma mentalidade de achar o companheiro mais bem posicionado e livre, Geogetown teve 17,4 assists por jogo, 9ª melhor marca do país. Isso muito por conta da velocidade na transição e na definição de seus ataques. Os Hoyas foram o 65º que definia mais rápido as posses ofensivas.

Jessie Govan, pivô, foi o grande jogador da equipe. Junto com Marcus Derrickson no garrafão, formou um dos frontcourts mais equilibrados do país. Teve duplo-duplo de média. 17,9 pontos e 10,0 rebotes por jogo. Precisa ainda evoluir o desempenho de média e longa distância, mas dentro da área pintada é quase letal.

Dois calouros chamaram muito a atenção. JaMorko Pickett, ala, e Jahvon Blair, armador, combinaram para 18,6 pontos, 5,9 rebotes e 3,5 assistências por jogo. Números consistentes. Jagan Mosely evoluiu bastante e Kaleb Johnson se mostrou uma opção eficaz no perímetro da equipe.

JaMorko Pickett fez um ótimo ano de calouro pelos Hoyas (Getty)

Previsão para a temporada 2018/19

Perder Derrickson não será fácil de digerir para os Hoyas, tanto que os Warriors já assinaram um contrato com o jogador na NBA. Govan será ainda mais visado no garrafão. No entanto, a equipe tem mais retornos do que saídas. Pickett e Blair estarão um ano mais experientes e isso fará muita diferença.

Um dos problemas da temporada passada foi o controle de bola e cuidado com a mesma. Georgetown teve o péssimo desempenho de ser somente a 309º equipe entre 351 do College na taxa de turnovers. James Akinjo, calouro, será importante nessa missão, já que é um jogador que controla o ritmo e tem um bom arremesso de média e longa distância.

Greg Malinowski se transferiu de William&Mary e será uma opção nos arremessos do perímetro. No entanto, a principal questão da equipe está em Mac McClung. O armador comprovará toda a sua pompa vindo do High School, como um dos jogadores mais atléticos do país?

Confie em Govan no garrafão e na evolução dos outros jogadores. Em uma Big East mais aberta do que nas outras temporadas, GTown poderá surpreender.

Fique de Olho

Jessie Govan | pivô | 2,08 metros | Senior

Talvez Govan seja o pivô com melhor footwork da Big East. É uma arma no jogo de costas para a cesta e tem uma excelenet visão de jogo, o que complica a marcação adversária. Um dos seus problemas é o arremesso de média distância. Fica restrito ao jogo dentro do garrafão e não ajuda no espaçamento da quadra.

Com jogadores atléticos e Akinjo chegando para ajudar na organização da equipe, Govan será essencial para desafogar a equipe. No seu último ano, deve brilhar e ser uma das 60 escolhas no Draft de 2019 da NBA.

Deixe uma resposta