Preview da Conferência ACC

Falaremos abaixo de uma das conferências mais nobres do College Basketball, a ACC. No último torneio do March Madness foi a conferência que mais teve representantes, sete no total e ainda por cima levando seis desses ao Sweet 16.

Em 2016,  North Carolina se sagrou campeão da temporada regular e também venceu o torneio da conferência sobre a Universidade de Virginia.

acc-standing

Abaixo você confere as previsões desta conferência para a temporada 2016-17:

Melhor jogador

Grayson Allen – Duke

grayson-allen1

Allen teve uma temporada espetacular pela Universidade de Duke, obtendo média de 21.6 pontos por jogo. Tem tudo para ser o melhor jogador do país nesta temporada.

Depois de ter sido campeão no seu primeiro ano sob o comando do Coach K, ele terá a bola e a responsabilidade de levar os Blue Devils a mais um título.

Melhor freshman da conferência:

Jayson Tatum – Duke

tatum

O recrutamento de Duke sempre é fantástico, contando com vários prospectos cinco estrelas vindo do High School, este ano não foi diferente. A Universidade conseguiu os dois melhores recrutas da classe de 2016, Harry Giles que infelizmente teve uma lesão no joelho e perderá o começo da temporada e trouxeram o garoto de St. Louis, considerado o segundo melhor ala do país, Jayson Tatum.

Tatum tem uma versatilidade, com braços longos e um ótimo atleticismo, tem um bom arremesso de fora do perímetro e como consegue jogar dentro do garrafão com boas infiltrações. Deve ser um dos destaques deste time e com toda certeza estará no Draft da NBA.

Quinteto da conferência:

London Perrantes (Virginia)
Grayson Allen (Duke)
Jaron Blossomgame (Clemson)
Jayson Tatum (Duke)
Austin Nichols (Virginia)

Power Rankings

1. Duke Blue Devils

duke-aoki-cameronindoorstadium

Em 2015-16: (25-11 / 11-7 na ACC)

Cercada de esperanças para esta temporada, Duke mais uma vez fez um recrutamento forte. Harry Giles, melhor ala-pivô da classe de 2016, Jayson Tatum, segundo melhor ala da classe, Marques Bolden, segundo melhor pivô da classe e Frank Jackson, quarto melhor armador da classe, são alguns dos nomes que vestirão a camisa dos Blue Devils pela primeira vez. Único problema para Duke é que Harry Giles machucou seu joelho novamente e ficará seis semanas fora. O mesmo problema já afetou Giles no High School, em que rompeu o ligamento cruzado dos dois joelhos.

Grayson Allen, principal jogador da equipe, permanece no elenco após ser cotado para o Draft e sua média 21.6 pontos por jogo deverá aumentar nesta temporada. Luke Kennard, exímio chutador do perímetro, retorna e Chase Jeter, que teve pouco tempo de quadra, poderá ser peça importante no garrafão dos Blue Devils no seu segundo ano de carreira. Dois jogadores experientes serão o balanço dessa equipe: Amile Jeferson, que perdeu boa parte da temporada passada com uma lesão, e Matt Jones, um dos melhores defensores da equipe e bom chutador de fora.

FIQUE DE OLHO: Poucos falam em Javin DeLaurier, no entanto ele foi um dos melhores jogadores da classe de 2016 do High School e poderá ter tempo de quadra imediatamente nesta temporada.

2. North Carolina Tar Heels

meeksinjurycbs

Em 2015-16 (33-7 / 14-4 na ACC)

Principais perdas: Brice Johnson (17.0 PPG), Marcus Paige (12.6 PPG)

Principais adições: Tony Bradley, Seventh Woods, Brandon Robinson

Quem não se lembra da bola de Marcus Paige no torneio nacional? Os Tar Heels perderam os seus dois principais jogadores e, por outro lado adicionaram três freshmans que podem contribuir na rotação da equipe. A equipe esteve entre as dez melhores reboteiras do país e deve isso muito a Brice Johnson. Se conseguirem manter esse alto índice tem tudo para se darem bem na defesa. No outro lado da quadra precisam melhorar nos arremessos de longa distância que foi um fator negativo na temporada passada.

Joel Berry foi um bom arremessador e contribuiu para algumas bolas de três, mas Pinson e Jackson não passaram dos 30%, enquanto Meeks e Hicks se quer arremessaram uma bola. Com isso nada de “stretch 4” e basquete moderno para a equipe de Roy Williams.

3. Virginia Cavaliers

london-perrantes-virginia-1300

Em 2015-16 (29-8 / 13-5 na ACC)

Principais perdas: Malcolm Brogdon (18.2 PPG), Anthony Gill (13.8 PPG), Mike Tobey (7.3 PPG)

Principais adições: Austin Nichols (transferido de Memphis), Mamadi Diakite (redshirt Freshman), Kyle Guy, Ty Jerome, Jay Huff e DeAndre Hunter.

Na última temporada os Cavaliers chegaram até o Elite 8 do torneio do March Madness, o que foi um pouco surpreendente, mesmo ficando em segundo lugar na ACC. Nesta temporada a equipe teve algumas perdas, porém boas peças foram adicionadas. A competição pelo título da ACC vai ser tão acirrada quanto conseguir ser cabeça de chave no torneio nacional.

A defesa vai ser crucial e quem sabe possa ser melhor do que a da última temporada. A equipe de Virginia teve um ótimo aproveitamento nas bolas de três pontos, se conseguirem repetir esse feito junto com uma defesa equilibrada, podemos estar falando do campeão da conferência.

4. Louisville Cardinals

louis

Em 2015-16 (23-8 / 12-6 na ACC)

Principais perdas: Damion Lee (15.9 PPG), Trey Lewis (11.3 PPG), Chinanu Onuaku (9.9 PPG)

Principais adições: V.J. King, Tony Hicks (transferido de Penn)

Louisville se fez inelegível para a pós-temporada no último ano para minimizar o escândalo que a NCAA estava investigando na universidade e mesmo perdendo os seus três principais pontuadores e adicionando apenas um novato, os Cardinals continuam sendo um dos principais times da ACC. Manteve um elenco que pode dar trabalho para as principais equipes da conferência, com um frontcourt que conta com diversas opções tais como: Mathiang, Spalding, Jaylen Johnson, Anas Mahmoud e Matz Stockman.

A grande responsabilidade no ataque da equipe caiu sobre Quentin Snider que terá que jogar com a bola na mão na maioria das posses e o sobre o novato V.J. King que terá bastante minutos em quadra. Louisville pode ser o melhor time defensivo de toda NCAA. Na última temporada obtiveram números espetaculares, por isso ficando mais experientes mais atléticos e maiores, esses números podem aumentar.

5. Syracuse Oranges

lydon_0

Em 2015-16 (23-14 / 9-9 na ACC)

Os Oranges perdem seus três principais cestinhas – Michael Gbinije, Malachi Richardson e Trevor Cooney – juntos eles representavam 48% dos pontos da equipe na temporada passada. Gbinije e Cooney eram seniors e se formaram, enquanto Richardson era só um calouro e sua ida para a NBA foi um precoce. Tyler Lydon, calouro que atuou muito bem temporada passada, retorna e deve ser o principal jogador da equipe.

A dupla de garrafão muito forte defensivamente com Tyler Roberson e DaJuan Coleman está de volta. O ponto forte da offseason dos Oranges foi às transferências. John Gillon II, armador, veio de Colorado State e Andrew White, uma das principais transferências do país, vem para ser o scorer da equipe após passagem por Nebraska. Chinonso Obokoh acabou deixando a equipe e se transferindo para St Bonaventure.

FIQUE DE OLHO: O recrutamento de Syracuse não é dos mais badalados, entretanto Tyus Battle é um dos melhores alas da classe e deverá ser titular desde o começo da temporada. Matthew Moyer e Taurean Thompson, ambos ala-pivôs, farão parte da rotação dos Oranges.

6. Virginia Tech Hokies

0324buzz

Em 2015-16 (20-15 / 10-8 na ACC)

Sleeper da ACC nesta temporada, Buzz Williams tem muito talento a sua volta. Talento que é muito subestimado pela imprensa e times em volta dos Hokies. Mesmo com a boa campanha da temporada passada (10 vitórias e oito derrotas) a equipe não participou do March Madness e Buzz Williams deverá levar a equipe para o Torneio nesta.

Principal jogador da equipe, Zach LeDay retorna para sua temporada de senior e Seth Allen, arma nos arremessos do perímetro também está de volta. Justin Bibbs, nome parecido com um bem famoso, teve mais de 10 pontos de média em sua temporada de sophomore e deve ter um breakout year. Única perda da equipe, Jalen Hudson se transferiu para Florida.

FIQUE DE OLHO: Khadim Sy, calouro mais badalado da equipe, deve ter tempo de quadra já nesta temporada. O pivô está na lista dos 30 melhores da posição calouros do país.

7. Notre Dame Fighting Irish

vj

Em 2015-16 (24-12 / 11-7 na ACC)

Pelo segundo ano consecutivo os Fighting Irish chegaram ao Elite 8 e perderam, além de perder seus dois principais jogadores. Demetrius Jackson (15.8PPG) foi selecionado na segunda rodada do Draft de 2016 e Zach Auguste (14.0PPG) se formou. Notre Dame foi um dos times privilegiados com o calendário de conferência, enfrentando times relativamente mais fracos.

Sem adições de impacto no elenco, os veteranos V.J. Beachem, Steve Vasturia e Bonzie Colson vão ter que liderar o time tanto no ataque como na defesa. Temple Gibbs, freshman, é um combo guard que está aprendendo a jogar sem a bola nas mãos, terá minutos na rotação e precisa provar para o técnico e para a torcida que podem contar com ele nos minutos cruciais das partidas.

FIQUE DE OLHO: O pivô Bonzie Colson que teve médias de 11.1PPG e 6.7 rebotes, vem para melhorar esses números e pode ser o melhor jogador da equipe.

8. North Carolina State Wolfpack

ncsuunc08-sp-022415-rtw

Em 2015-16 (16-17 / 5-13 na ACC)

Chegadas: Dennis Smith Jr. (Freshman 5 estrelas), Omer Yurtseven (Freshman 5 estrelas), Ted Kapita (Freshman 4 estrelas), Markell Johnson (Freshman 4 estrelas), Torin Dorn (Transferência de Charlotte)

Saídas: Cat Barber (23.5 PPG) saiu para a NBA. Caleb Martin (11.5 PPG), Cody Martin (6.0 PPG) se transferiram para Nevada.

No final da temporada passada parecia que NC State estaria destinado a mais um ano de dificuldades e para não ficar nas últimas colocações na ACC. Cat Barber se inscreveu para o draft da NBA, e Caleb e Cody Martin estavam se transferindo e ainda havia a dúvida se Malik Abu voltaria para a universidade. Mas em pouco menos de dois meses, NC State assinou com Omer Yurtseven, e alguns dias depois também trouxe Ted Kapita e Markell Johnson além da confirmação de que Abu estaria de volta. Como resultado, NC State passou de candidato a pior da conferência, a um dos candidatos ao topo da classificação da ACC juntamente com DUKE, UNC e Virginia.

NC State também terá um bom pivô para a próxima temporada em Omer Yurtseven, que é classificado por alguns scouts como um dos melhores pivôs para o próximo Draft da NBA. Mas a maior razão para o otimismo é o fato de NC State ter como substituto de Cat Barber o armador calouro Dennis Smith Jr. Smith é classificado como o melhor armador da classe de calouros em 2016, inclusive estando à frente de Lonzo Ball e Markelle Fultz. Smith é um candidato legítimo a ser a primeira escolha do próximo Draft da NBA, e terá um impacto tão grande quanto Cat Barber teve na última temporada. Só para lembrarmos, Barber esteve entre os dez maiores pontuadores de toda a NCAA.

FIQUE DE OLHO: Dennis Smith Jr. é um armador com um estilo de jogo que combina força, atleticismo e muita habilidade no controle de bola. Sua capacidade defensiva é alta e normalmente consegue roubar bolas e sair em transição com velocidade. Sua liderança e capacidade de armar o jogo será testada nesta temporada e é bem provável que ele seja aprovado.

9. Miami Hurricanes

082714_fsf_college_basketball_miami_hurricanes_mascot_pi-vresize-1200-675-high-91

Em 2015-16 (27-8 / 13-5 na ACC)

Os Hurricanes recrutaram alguns bons jogadores chegando dessa classe como Dewan Huell e Bruce Brown. Rashad Muhammad veio transferido de San Jose State devem fazer um impacto na rotação. Porém o time perdeu os seus principais jogadores, Sheldon McClellan e Angel Rodriguez eram os líderes do time em quase todos os quesitos. Com isso Miami perdeu quatro dos seus sete principais jogadores em minutos jogados na última temporada.

Mesmo atingindo o Elite 8 no último torneio, os Hurricanes não devem repetir esse feito e lutarão até a última rodada para estar na bolha. Ainda permanecem com um bom talento e um técnico que sabe encaixar as peças fundamentais nas horas decisivas das partidas.

10. Florida State Seminoles

4020719

Em 2015-16 (20-14 / 8-10 na ACC)

Chegadas: Jonathan Isaac (Freshman 5 estrelas), Trent Forrest (Freshman 4 estrelas), C.J Walker (Freshman 4 estrelas), Braian Angola-Rodas (North Idaho, JUCO) e Patrick Savoy (Sheridan College, JUCO)

Saídas: Malik Beasley (15.6 ppg) NBA. Devon Bookert (9.5 ppg), Boris Bojanovsky (6.1 ppg) e Benji Bell (3.8 ppg)

Flórida State deverá ter um time melhor nesta temporada e pode ser considerado como um time que dará muito trabalho na ACC. Graças ao retorno de Dwayne Bacon e Xavier Rathan-Mayes, os Seminoles terão um dos melhores backourts da ACC. Também devemos levar em conta a adição de Jonathan Isaac, que é um ala atlético, bastante habilidoso e que pode jogar de ala-pivô se necessário. Podemos concluir que apenas levando em conta estes três atletas, FSU será um time interessante de se assistir e que pode dar muito trabalho para os favoritos na ACC. Mas para que possam ir mais longe e ficarem na metade de cima da classificação na conferência, será necessário que FSU resolva seu maior problema na temporada passada, a falta de contribuição do elenco de apoio. Beasley, Bacon e Rathan-Mayes  foram os únicos que tiveram dígitos duplos em pontuação na última temporada, e isso evidencia o problema citado.

Se Leonard Hamilton, técnico de FSU, conseguir fazer com que esse time renda acima do esperado, os Seminoles terão motivos de sobra para comemorar. FSU tem poder de fogo suficiente para alcançarem pelo menos dez vitorias nesta conferência e deverão conseguir isto nesta temporada.

FIQUE DE OLHO: Que Dwayne Bacon será a estrela deste time, ninguém tem dúvidas. Mas até onde ele pode levar os seminoles nesta temporada? Agora sem Malik Beasley que foi para a NBA, Bacon terá a responsabilidade de liderar este time e de ajudar o novato Isaac a se adaptar ao sistema de jogo, e quem sabe pensar em competir no torneio da NCAA “March Madness”.

11. Clemson Tigers

Jan 16, 2016; Greenville, SC, USA; Clemson Tigers forward Jaron Blossomgame (5) reacts after scoring against the Miami Hurricanes in the second half at Bon Secours Wellness Arena. The Tigers won 76-65. Mandatory Credit: Dawson Powers-USA TODAY Sports

Em 2015-16 (17-14 / 10-8 na ACC)

Jaron Blossomgame é o nome de destaque dos Tigers para esta temporada. Cotado para ser um dos melhores jogadores da conferência, o ala já teve 18.7 pontos e 6.7 rebotes na temporada passada e os números devem ser ainda melhores.

Com um recrutamento limitado, Clemson aposta muito em Marcquise Reed, jogador que veio transferido de Robert Morris, em que anotou 15 pontos de média como calouro. O jogador foi redshirt na temporada passada devido às restrições de transferências da NCAA.

FIQUE DE OLHO: O técnico Brad Brownell está sendo ameaçado de demissão. A temporada 2016/17 será importantíssima para a manutenção de sue cargo, já que após sete anos no comando dos Tigers, o técnico só levou a equipe a dois March Madness.

12. Pittsburgh Panthers

11625328

Em 2015-16 (21-12 / 9-9 na ACC)

Uma das melhores duplas de todo o basquete universitário se encontra em Pittsburgh. Michael Young e Jamel Artis, juntos, somam mais de 30 pontos, 11.7 rebotes e 5.3 assistências por jogo. Com a saída do técnico Jamie Dixon, que foi para TCU, Kevin Stallings, ex-técnico de Vanderbilt, assumiu o comando dos Panthers.

James Robinson, armador da equipe e cabeça pensante do ataque de Pittsburgh se formou e isso deverá ser muito duro com os Panthers. Robinson tinha um dos melhores ratios de assistências/turnovers do país e é sempre complicado substituir um armador desse nível. Justice Kithcart, calouro, poderá ter tempo de quadra na armação da equipe desde o seu início.

FIQUE DE OLHO: Três jogadores terão que ajudar a dupla Young e Artis para que Pitt tenha sucesso. Sheldon Jeter, Chris Jones e Ryan Luther somaram quase 20 pontos de média na temporada passada e esses números tem de subir para que os Panthers sonhem com algo a mais na conferência.

13. Wake Forest Demon Deacons

5646ba481a182-image

Em 2015-16 (11-20 / 2-16 na ACC)

Chegadas: Austin Arians (Milwaukee), Keyshawn Woods (Charlotte), Brandon Childress (Freshman 4 estrelas), Richard Washington Jr. (Freshman), Samuel Japhet-Mathias (Freshman)

Saídas: Devin Thomas (15.6 ppg, 10.2 rpg, 1.6 bpg) e Codi Miller-McIntyre (9.4 ppg, 4.0 apg) se graduaram; Rondale Watson (transferido para Marshall).

Com as perdas de Devin Thomas e McIntyre, Wake Forest nesta temporada deve lutar para não ficar entre os últimos colocados. Independentemente da ordem em que terminar a temporada, é de consciência pública que os Demon Deacons estão em processo de reconstrução, e que esta temporada será utilizada para dar experiência para os mais jovens do time. Para esta temporada o treinador Danny Manning terá dois atletas que vieram transferidos de suas respectivas universidades e que deverão dar mais experiência a esta equipe. Destaque para Keyshawn Woods que teve aproveitamento de 46% em arremessos de longa distancia na sua primeira e única temporada com a universidade de Charlotte.

FIQUE DE OLHO: Bryant Crawford foi calouro na última temporada e teve bom desempenho armando as jogadas do time. Nesta temporada ele terá ainda mais espaço para pontuar e ser o líder da equipe. Como calouro teve médias de 13.8 pontos por partida, além de 4.4 assistências.

14. Georgia Tech Yellow Jackets

m-8183

Em 2015-16 (21-15 / 8-10 na ACC)

Chegadas: Christian Mathews (Freshman, 3 estrelas), Justin Moore (Freshman, 3 estrelas), Josh Okogie (Freshman), Jordan Price (Eastern Michigan) e Kellen McCormick (Western Michigan)

Saídas: Marcus Georges-Hunt (16.7 ppg), Adam Smith (15.0 PPG, 41.4% 3pt), Charles Mitchell (10.1 ppg, 9.7 rpg), Nick Jacobs (10.5 ppg, 5.8 rpg) e James White (4.4 rpg) todos estes por graduação .

Os Yellow Jackets acabam de perder seus quatro maiores pontuadores da última temporada para a graduação. Marcus Georges-Hunt, Adam Smith, Nick Jacobs e Charles Mitchell foram responsáveis por mais de 71% de toda a pontuação da equipe na última temporada. Além dos freshmans, Georgia Tech está trazendo dois atletas via transferência de pós-graduação, Jordan Price e Kellen McCormick que devem contribuir com experiência para os mais jovens neste time. Não se espera desta equipe a mesma campanha da última temporada, e é provável que o time dos Yellow Jackets tenham uma campanha difícil e briguem com Boston College para não ficar em último na conferência.

FIQUE DE OLHO: Christian Mathews é um recruta três estrelas que joga de ala. Sua principal característica é a versatilidade, e tem uma boa qualidade para pontuar tanto no garrafão como do perímetro. Uma curiosidade de Mathews é que ele sempre joga usando óculos de grau, devido a um problema de visão.

15. Boston College Eagles

Feb 10, 2013; Chestnut Hill, MA, USA; A general view of Conte Forum during the second half of the game between the Duke Blue Devils and the Boston College Eagles. Mandatory Credit: Greg M. Cooper-USA TODAY Sports

Em 2015-16 (7-25 / 0-18 na ACC)

Chegadas: Jordan Chatman (BYU), Connar Tava (Western Michigan) e Maurice Jeffers (Delaware), Ty Graves (Freshman, 3 estrelas) e Myke Sagay (Freshman, 3 estrelas) Nik Popovic (Freshman) Kyran Bowman (Freshman)

Saídas: Eli Carter (16.0 ppg, 4.0 apg) e Dennis Clifford (9.9 ppg, 7.3 rpg) por graduação. Matt Milon (49.4% 3pt.) pediu transferência para William and Mary e Idy Diallo que se transferiu para UC Riverside.

Boston College (BC) deve lutar nesta temporada para não repetir o desempenho pífio da última temporada e será uma temporada difícil para os Eagles, já que seu recrutamento não esteve entre os melhores da conferência. Para este ano BC não terá Eli Carter que foi seu principal cestinha na última temporada, e que se formou em junho passado. Jordan Chatman, Connar Tava e Maurice Jeffers estão chegando via transferências de pós-graduação, e deverão ser titulares nesta equipe que precisa desesperadamente de algum talento e principalmente de mudanças para que não repita o fiasco da última temporada.

FIQUE DE OLHO: Jordan Chatman, que veio de BYU, ainda tem mais três anos de elegibilidade. Vale lembrar que ele não precisará ficar sem jogar nesta temporada por ter cumprido dois anos de missão Mórmon. Connar Tava teve médias de 12.3 pontos por jogo na ultima temporada em Western Michigan e deve ser muito importante nesta equipe.

1 comentário sobre “Preview da Conferência ACC”

  1. Pingback: Podcast LiveCollegeBR #4 – Preview da ACC com Ricardo Bulgarelli | Live College Brasil

Deixe uma resposta