Preview da Missouri Valley

O LiveCollegeBR traz mais um preview da temporada 2016/17 do basquete universitário. Dessa vez, a Missouri Valley é a abordada. A conferência, que mudou muito nos últimos anos, traz o domínio de Wichita State, um dos programas de maior sucesso nas temporadas anteriores.

Wichita State venceu a temporada regular da conferência em 2015/16, enquanto Northern Iowa conquistou o torneio da conferência, após vencer Evansville por 56×54.

class-mvc

Vamos aos destaques:

Melhor jogador

Brenton Scott – Indiana State 

brenton-scott

Escassa de talento nesta temporada, a Missouri Valley contará com o talento de Brenton Scott, um redshirt junior, que perdeu seu primeiro ano devido a uma lesão e que na temporada passado foi eleito para o segundo time da conferência.

Com 14,6 pontos e 4,1 rebotes de média, Scott se caracteriza pelo bom chute do perímetro (38,4% em 6.2 chutes por jogo). Sem o cestinha Devonte Brown, que se formou, Scott será a referência de Indiana State. Vale a menção honrosa para Reed Timmer, terceiro cestinha da conferência na temporada passada, jogador de Drake.

Melhor freshman da conferência:

Koch Bar – Bradley

koch-bar

Koch Bar poderia ter ido para estas universidades: Indiana, Purdue, Butler, Miami, South Florida, Central Florida e Virginia Tech. Todas são de conferências melhores que a Missouri Valley e mais conhecidas que a Universidade de Bradley, mas o jogador nascido no Sudão e que veio somente com 17 anos para os Estados Unidos, decidiu jogar para os Braves.

O bom porte físico e o incrível entendimento do jogo, o credencia a brigar pelo título de calouro do ano na conferência.

Jogador defensivo da conferência:

Jeremy Morgan – Northern Iowa

jeremy-morgan

Com as saídas de Ron Baker e Fred VanVleet, dois dos melhores defensores da conferência, o caminho ficou livre para Morgan, que liderou a Missouri Valley em roubos de bola na temporada passada (1.9 por jogo).

Além de ser referência defensiva, Morgan deverá ser o pilar do time de Northern Iowa, que perdeu vários de seus principais jogadores.

Melhor técnico da conferência:

Gregg Marshall – Wichita State

Feb 22, 2014; Wichita, KS, USA; Wichita State Shockers head coach Gregg Marshall watches his team during an 83-54 win against the Drake Bulldogs at Charles Koch Arena. Mandatory Credit: Scott Sewell-USA TODAY Sports

Não havia como fugir do nome de Marshall como melhor técnico da conferência. Antes de assumir Wichita State, o técnico treinou Winthrop, equipe da Big South. Levou o time sete vezes ao March Madness no período de 1998 a 2007. Desde lá assumiu o comando dos Shockers.

Na equipe de Wichita State, Marshall venceu o NIT em 2011 e conseguiu uma façanha histórica: a excelente campanha de 35 vitórias e somente uma derrota na temporada de 2013-14. A única derrota veio no March Madness para Kentucky por 78×76. Gregg Marshall, além de ser o melhor técnico da MVC, é um dos melhores do país.

Quinteto da conferência:

G – Brenton Scott (Indiana State)
G – Reed Timmer (Drake)
F – Jeremy Morgan (Northern Iowa)
F – Markis McDuffie (Wichita State)
F – MiKyle McIntosh (Illinois State)

Menções honrosas: Paris Lee (Illinois State), Dequon Miller (Missouri State) e Conner Frankamp (Wichita State)

Power Rankings

  1. Wichita State

markis-mcduffie

A sempre favorita Wichita State agora não terá duas lendas: Ron Baker e Fred VanVleet. Ambos se formaram e seguem suas carreiras na NBA. Como irá proceder os Shockers sem as duas referências que atuaram durante quatro temporadas juntos?

Landry Shamet, que disputou poucos jogos devido a uma lesão, retorna esta temporada. Markis McDuffie, calouro que agradou muito, também está de volta. Conner Frankamp, que não teve uma grande primeira temporada em Wichita State e os bons Rashard Kelly e Zach Brown voltam assim como os outros. Qualidade não deve faltar e Gregg Marshall é um treinador que já provou ser muito bom quando tem qualidade.

FIQUE DE OLHO: Markis McDuffie jogou muito bem a sua primeira temporada (7.4 pts e 3.3 rebs). Sua temporada de sophomore, agora como referência da equipe, deverá ser de maior sucesso.

  1. Illinois State

paris-lee

Illinois State perdeu o seu cestinha DeVaughn Akoon-Purcell, que obteve 14.1 pontos por jogo, no entanto Paris Lee e MiKyle McIntosh retornam e devem suprir essa ausência.

Além dos retornos, os Redbirds contam com duas transferências que deverão ajudar a equipe a buscar o título da conferência: Christian Romine, vindo de UTEP e Milik Yarbrough, que se transferiu de Saint Louis.

FIQUE DE OLHO: Paris Lee foi um dos cestinhas da equipe na temporada passada e eleito para o terceiro time da conferência. A tendência é que brigue por uma vaga no melhor time da Missouri Valley.

  1. Northern Iowa

uni-basketball-court

Wes Washpun, Matt Bohannon e Paul Jesperson (autor de um chute fantástico do meio da quadra contra Texas no March Madness) se despediram da equipe e com eles levaram 53% pontos de Northern Iowa. Jeremy Morgan, referência defensiva da equipe, permanece e o elenco reduzido pode ser um problema para os Panthers.

Adam McDermott (primo de Doug McDermott, ala do Chicago Bulls) se transferiu de North Dakota State e será redshirt nesta temporada. Já Jordan Ashton poderá ajudar imediatamente após jogar por Iowa State.

FIQUE DE OLHO: Tem brasileiro na área! Rafael de Souza integra o elenco de Northern Iowa nesta temporada. Quem sabe o brasileiro não faz bons jogos.

  1. Southern Illinois

sean-obrien

A incrível campanha da temporada passada tem tudo para não passar batida para os Salukis. Mesmo com Anthony Beane, cestinha do time (19.3 pontos por jogo), se formando, três dos quatro cestinhas da equipe retornam. Sean O’Brien, Leo Vincent e Mike Rodriguez, todos ingressando no último ano de faculdade, farão de tudo para manterem Southern Illinois na briga da MVC.

Bola Olaniyan, um dos maiores reboteiros da conferência, se transferiu para Alabama, enquanto Marcus Bartley chegou de Saint Louis (será redshirt nesta temporada).

FIQUE DE OLHO: O conjunto de Southern Illinois é forte. Toda a esperança da torcida dos Salukis se baseia no bom desempenho do trio – O’Brien, Vincent e Rodriguez.

  1. Indiana State

ISU falls to #4 Wichita State at Hulman Center in mens basketball action

Brenton Scott fez uma excelente temporada em 2015/16 e com a saída de Devonte Brown, cestinha da equipe, espera-se que o desempenho do jogador de perímetro seja ainda melhor.

O bom calouro Jordan Barnes deverá ajudar já na armação dos Sycamores.

FIQUE DE OLHO: Brenton Scott é um gatilho do perímetro. Com maior liberdade para chutar nesta temporada, prepare-se para ver várias bolas de fora caindo para Indiana State.

  1. Evansville

jaylon-brown

Evansville perdeu 69% dos pontos da equipe. Foram quatro jogadores que se formaram entre eles os destaques D.J Balentine e Egidijus Mockevicius. Balentine foi cestinha da conferência com mais de 20 pontos por jogo e Mockevicius foi um dos líderes do país em rebotes por jogo (14).

Para buscar uma campanha parecida com a que foi a da temporada passada, Evansville dependerá muito do desempenho de Jaylon Brown, único jogador com mais de dez pontos de média que retornou. Duane Gibson, Willie Wiley e Blake Simmons devem ter seus tempos de quadra aumentados nesta temporada.

FIQUE DE OLHO: Jaylon Brown vai para seu último ano de faculdade e agora como referência da equipe. Espere o jogador pontuando muito.

  1. Missouri State

dequon-miller

Dequon Miller foi um dos melhores jogadores da conferência na temporada passada e seu retorno motiva ainda mais os Bears para buscarem algo a mais. Camyn Boone, segundo cestinha da equipe, se formou e fará falta.

O grupo de apoio não é tão qualificado e aí poderá fazer a diferença para um maior sucesso de Missouri State. Chris Hendrix deve ser o único a ajudar Boone em um alto nível.

FIQUE DE OLHO: O calouro Greg Williams, armador, poderá ter tempo de quadra imediatamente nesta temporada. Com a falta de qualidade no elenco, Williams pode ser um dos pilares do time.

  1. Bradley

bradley

A pífia campanha da temporada passada não deve servir de modelo para esta, no entanto, quase nada mudou para Bradley. Os cinco principais cestinhas da temporada retornam, mesmo que nenhum tenha feito mais de dez pontos de média. Bradley fez mais pontos fora do que dentro de casa, entretanto sofreu muito mais pontos fora. Isso certamente pesou no aproveitamento ruim de 2015/16.

A única novidade é Koch Bar, minha escolha para calouro do ano na Missouri Valley.

FIQUE DE OLHO: Com o retorno dos principais jogadores, Dwayne Lautier-Ogunleye deverá ser a referência da equipe. Cestinha do time mesmo sendo calouro, Ogunleye cerca os torcedores dos Braves de esperança.

  1. Loyola (CHI)

loyola

Loyola (CHI) não teve o fator casa com seu aliado na temporada passada. O índice de dependência do fator casa da equipe foi negativo, o que indica um melhor jogo como visitante. Não quer dizer que como visitante a equipe fosse excelente. Longe disso, Loyola só teve sete vitórias na conferência.

Para piorar a situação, três dos principais jogadores da equipe saíram – Montel James (12.2 pts), Devon Turk e Earl Peterson – o que forneceu 50% dos pontos do time. O calouro Cameron Satterwhite é a esperança de novos frutos para os Ramblers.

FIQUE DE OLHO: Milton Doyle é o único jogador com mais de dez pontos de média que retorna para esta temporada. O guard teve 11.2 pontos de média.

  1. Drake

Dec 9, 2015; Des Moines, IA, USA; Drake Bulldogs guard Reed Timmer (12) looks to pass the ball during the second half against the DePaul Blue Demons at Knapp Center. Depaul won 74-71. Mandatory Credit: Jeffrey Becker-USA TODAY Sports

Quando todos pensam que não há mais o que piorar, o poço ficando ainda maior. Drake, última colocada na Missouri Valley temporada passada, perdeu dois jogadores por transferências – Kale Abrahamson para Duquesne e Dominik Olejniczak para Ole Miss.

Pelo menos uma notícia boa: Reed Timmer, um dos cestinhas da temporada, retornou e será o “cara” da equipe. Sem um recrutamento positivo, Drake apostou no Junior College. De’Antae McMurray e T.J Thomas vêm para ajudar os Bulldogs.

FIQUE DE OLHO: Reed Timmer teve 16.8 pontos de média na temporada passada. A tendência é aumentar seus números e brigar pelo prêmio de melhor jogador da conferência.

1 comentário sobre “Preview da Missouri Valley”

  1. Pingback: Podcast LiveCollegeBR #3 – Preview Atlantic 10 e Missouri Valley | Live College Brasil

Deixe uma resposta