Três jogadores mid-majors que você conhecerá em 2017-18

As universidades mid-majors sempre nos trazem novidades e jogadores desconhecidos que viram lendas, tanto no Colllege como posteriormente na NBA. Inclusive escrevi sobre as mid-majors aqui mesmo no site. Além disso, o LiveCollegeBR fez um ranking dos 25 melhores jogadores mid-majors para se acompanhar na próxima temporada.

Agora vos trago três jogadores para ficar de olho, porque certamente estarão na NBA, seja como jogadores draftados ou free agents.

Mike Daum (South Dakota State) – junior – ala-pivô

Scorer. Essa é a palavra chave para definir o talento de Mike Daum. O ala-pivô é um excelente arremessador do perímetro (44.6% na 1a temporada e 41.8% na 2a temporada) e o verdadeiro “stretch-four”. Seu jogo no garrafão está em plena evolução. Tem hooks e bom jogo de costas pra cesta, seja com fadeaways ou com fakes para fáceis layups.

Somente na temporada passada, Daum anotou 878 pontos, segunda maior marca da história da conferência Summit League. Em duas temporadas, Daum já tem 1396 pontos na carreira. Se mantiver este nível, o ala-pivô pode ultrapassar Doug McDermott, como o quinto maior cestinha da história da NCAA (3150 pontos). A maior questão para Daum é sua defesa. Lento e com pouca mobilidade lateral, precisa perder gordura e adicionar força se quiser ter sucesso na NBA. Tem poucos atributos qualificados na defesa e sofre até mesmo com jogadores mais fracos que ele.

Daum pode ir para o Draft da NBA após esta temporada, mas resta saber se ele quer fazer história na NCAA ou já buscar seu primeiro contrato profissional.

Thomas Wilder (Western Michigan) – senior – armador

Explosão. Principal característica de Wilder, o armador infiltra muito bem. Dono de boa finalização próxima ao aro, utiliza muito o pick and roll para obter sucesso nas suas jogadas. Não tem como pontos principal o passe, é muito mais um combo guard scorer, que passador. Melhorou sensivelmente seu arremesso do perímetro na temporada passada (29.5% em 14/15, 39.1% em 15/16 e 44.4% em 16/17). Gosta de arremessar de média distância, buscando stepbacks.

É um bom reboteiro para a posição e razoável defensor. Lembra em alguns aspectos Damian Lillard, muito por ter saído de uma mid-major e ter características similares. Há duas temporadas já é o craque da Universidade e sairá para o Draft em 2018. Já é lembrado em muitos mocks e por seu atleticismo pode ser draftado na segunda rodada.

Tyler Hall (Montana State) – junior – ala-armador

Especialista nas bolas de fora e um shooter fantástico. Hall não teve nenhuma pompa ao sair do High School. Poucas universidades da Divisão I lhe ofereceram bolsa de estudo e ele acabou indo para a Big Sky, por Montana State. Sua principal característica é o chute do perímetro. Arremessa a maior parte da linha da NBA, então não teria problemas de adaptação. Pode arremessar após bloqueios, após o drible, catch and shoot e tem um ótimo trabalho de pés.

Alto para a posição, é bom reboteiro e tem desenvolvido sua visão. Prefere passes na transição e tem mais dificuldade para criar para os companheiros em meia quadra. Foi um dos líderes de pontuação no College na temporada passada (23.1 pontos por jogo). Já acumula 1317 pontos na carreira em duas temporadas.

Suas maiores dificuldades encontram-se na defesa e em ter uma posição fixa na NBA. Fraco defendendo jogadores sem ou com a bola e no ataque tem dificuldades para definir ao redor do aro. Deve jogar os quatro anos no College antes de ir para a NBA.

Deixe uma resposta